SÓ DEUS PODE DAR AMOR, MAS TU PODES ENSINAR A AMAR... SÓ DEUS É O CAMINHO, MAS TU PODES INDICÁ-LO AOS OUTROS... SÓ DEUS É A LUZ, MAS TU PODES FAZÊ-LA BRILHAR... SÓ DEUS SE BASTA A SI MESMO, MAS QUER PRECISAR DE TI E CONTAR CONTIGO...

Sábado, 1 de Janeiro de 2011
Santa Maria, Mãe de Deus

Evangelho segundo S. Lucas 2,16-21.

 

Foram apressadamente e encontraram Maria, José e o menino deitado na manjedoura. Depois de terem visto, começaram a divulgar o que lhes tinham dito a respeito daquele menino. Todos os que ouviram se admiravam do que lhes diziam os pastores. Quanto a Maria, conservava todas estas coisas, ponderando-as no seu coração. E os pastores voltaram, glorificando e louvando a Deus por tudo o que tinham visto e ouvido, conforme lhes fora anunciado. Quando se completaram os oito dias, para a circuncisão do menino, deram-lhe o nome de Jesus indicado pelo anjo antes de ter sido concebido no seio materno.

 

Da Bíblia Sagrada

 

Comentário ao Evangelho

Maria, Mãe de Deus, Mãe do Príncipe da Paz (Is 11, 5)

 

A festa do Natal renova para nós os primeiros instantes da vida de Jesus, nascido da Virgem Maria. E acontece que, adorando o nascimento do nosso Salvador, celebramos a nossa própria origem. Com efeito, quando Cristo veio ao mundo, começou o povo cristão: o aniversário da cabeça é o aniversário do corpo. 

 

Ora, que mais podemos encontrar nos tesouros da generosidade divina que seja tão adequado à dignidade da festa de Natal como esta paz proclamada pelo cântico dos anjos aquando do nascimento do Senhor (Lc 2, 14)? Pois é a paz que gera filhos de Deus, que favorece o amor, que produz a amizade, que é o repouso dos bem-aventurados, a morada da eternidade. A sua obra própria, o seu particular benefício, consiste em unir a Deus aqueles que separa deste mundo. Assim, pois, aqueles que «não nasceram do sangue nem da vontade carnal, nem da vontade do homem, mas de Deus» (Jo 1, 13) devem oferecer ao Pai a vontade unânime dos filhos artesãos da paz. Todos aqueles que se tornaram membros de Cristo por adopção devem acorrer a venerar o primogénito da nova criação, Aquele que veio, não para fazer a Sua vontade, mas a Daquele que O enviou (Jo 6, 38). Os herdeiros adoptados pela graça do Pai não são herdeiros divididos nem separados; têm os mesmos sentimentos e o mesmo amor. Aqueles que foram recriados segundo a única Imagem (Heb 1, 3; Gn 1, 27) têm de ter uma alma que se assemelhe a Ele. O nascimento do Senhor Jesus é o nascimento da paz. Como diz São Paulo, «Ele [Cristo] é a nossa paz» (Ef 2, 14).

 



publicado por saozinhasimoes às 17:47
link do post | comentar | favorito

Domingo, 29 de Agosto de 2010
HUMILDADE

          Meu Deus, sei que ainda sou um ser em evolução e que muitas vezes fujo dos objectivos que o Senhor traçou para que eu alcance a minha felicidade. Sei também que nem sempre consigo fazer o bem que desejo, e muitas são as vezes que faço o mal que já não gostaria mais de fazer. Por isso venho a ti, Senhor, para rogar forças, coragem e lucidez para acertar mais vezes do que me equivocar, e quando me equivocar, que seja por fraqueza ou ignorância, mas nunca por deliberação. Venho a ti para pedir que não permita, em tempo algum, que eu perca a vontade de viver, apesar dos momentos de dor e de sofrimento, que por certo terei que passar.

          Pedir ajuda para cultivar o optimismo, mesmo que o futuro não seja tão promissor. Para que me ensine a desenvolver o romantismo, ainda que em meu peito o coração pareça ter emudecido. Senhor, ajuda-me a não perder a fé na amizade, mesmo que às vezes os amigos me traiam ou me abandonem nos momentos em que mais precisar deles. Ajuda-me a cultivar o hábito e a alegria de ajudar as pessoas, ainda que muitas delas sejam ingratas e incapazes de retribuir. Ensina-me a manter o equilíbrio até nos momentos de grandes abalos, em que tudo conspire para que eu perca o rumo. Senhor, ajuda-me a amar sem esperar retribuição nem reconhecimento dos seres amados. A observar a vida com brilho no olhar, até nos momentos em que a escuridão turve os meus olhos. A enfrentar os desafios da vida com garra e disposição, mesmo sabendo que as derrotas são inevitáveis no meu caminho. Permita-me usar sempre a razão e o bom senso, ainda que o apelo dos vícios seja forte, insistente e constante na minha intimidade.

          Sobretudo, Senhor, ajuda-me a elevar o sentimento de justiça acima dos meus próprios interesses. Permita-me conservar o amor pela família, mesmo que ela me exija imensos esforços e árduas renúncias em prol da sua harmonia. Ensina-me a ver sempre o lado bom e belo das coisas, apesar das lágrimas que brotam amargas do fundo da minha alma. Senhor, que eu jamais perca a vontade de herdar as estrelas, mesmo habitando um planeta pequeno e de categoria inferior. E, acima de tudo… Que eu jamais esqueça que o Senhor é a inteligência suprema do universo e que me ama infinitamente… Que provê minhas necessidades, ampara-me sempre e só quer o meu aperfeiçoamento. Que eu possa entender as pessoas que são mais frágeis que eu…A não julgar o meu semelhante… A educar meus sentimentos e desenvolver minha inteligência… E, por fim, que eu nunca esqueça que sou um espírito imortal… E que a minha felicidade é uma conquista minha…


publicado por saozinhasimoes às 17:08
link do post | comentar | favorito

Domingo, 11 de Julho de 2010
ORAÇÃO DE UM JOVEM TRISTE

Calça apertada de cinturão, toco guitarra, faço canção mas quando tento  me procurar eu não consigo me encontrar.

Escondo o rosto com as mãos e uma tristeza imensa me invade o coração, já não sou capaz de amar e a felicidade cansei de procurar...ah...ah.

Por isso venho buscar em ti o que eu não tenho o que perdi vestido em ouro te imaginei e tão humilde eu te encontrei.

Cabelos longos iguais aos meus Tu és o Cristo, Filho de Deus.

Tanta ternura  em teu olhar

A tua presença  me faz chorar

Eu ergo os olhos para o céu e a luz do teu amor me deixa tão feliz,

Se jamais acreditei,

Perdoa-me Senhor pois hoje te encontrei.

 



publicado por saozinhasimoes às 16:50
link do post | comentar | favorito

Domingo, 6 de Junho de 2010
AS LÁGRIMAS DE UMA MÃE

Evangelho segundo S. Lucas 7,11-17.

 

Em seguida, dirigiu-se a uma cidade chamada Naim, indo com Ele os seus discípulos e uma grande multidão. Quando estavam perto da porta da cidade, viram que levavam um defunto a sepultar, filho único de sua mãe, que era viúva; e, a acompanhá-la, vinha muita gente da cidade. Vendo-a, o Senhor compadeceu-se dela e disse-lhe: «Não chores.» Aproximando-se, tocou no caixão, e os que o transportavam pararam. Disse então: «Jovem, Eu te ordeno: Levanta-te!» O morto sentou-se e começou a falar. E Jesus entregou-o à sua mãe. O temor apoderou-se de todos, e davam glória a Deus, dizendo: «Surgiu entre nós um grande profeta e Deus visitou o seu povo!» E a fama deste milagre espalhou-se pela Judeia e por toda a região.

 

Da Bíblia Sagrada

 

Comentário ao Evangelho do dia feito por:

 

Santo Ambrósio (cc 340-397), bispo de Milão e doutor da Igreja

Sobre o Evangelho de S. Lucas, V, 89 (trad. cf SC 45, p. 214)

 

As lágrimas de uma mãe

 

A misericórdia divina deixa-se facilmente vergar pelos gemidos desta mãe. Ela é viúva; os sofrimentos ou a morte do seu único filho quebraram-na. [...] Creio que esta viúva, rodeada da multidão do povo, é mais do que uma simples mulher que merece pelas suas lágrimas a ressurreição de um filho, jovem e único. Ela é a própria imagem da Santa Igreja que, com as suas lágrimas, no meio do cortejo fúnebre e até junto do túmulo, obtém que seja devolvido à vida o jovem povo deste mundo. [...]

     

Porque à palavra de Deus os mortos ressuscitam, reencontram a voz e a mãe recupera o seu filho; ele foi chamado do túmulo, foi arrancado ao sepulcro. Que túmulo é este para vós, senão o vosso mau comportamento? O vosso túmulo é a falta de fé. [...] Desse sepulcro, Cristo vos liberta; saireis do túmulo se escutardes a Palavra de Deus. E, se o vosso pecado for demasiado grave para que o possam lavar as lágrimas da vossa penitência, que intervenham por vós as lágrimas da vossa mãe Igreja. [...] Ela intercede por cada um dos seus filhos, como por outros tantos filhos únicos. Com efeito, ela é plena de compaixão e experimenta uma dor espiritual e materna sempre que vê os seus filhos arrastados para a morte pelo pecado.



publicado por saozinhasimoes às 14:29
link do post | comentar | favorito

Domingo, 20 de Dezembro de 2009
«O menino saltou de alegria no meu seio»

 

Evangelho segundo S. Lucas 1,39-45. Ano C
 
Por aqueles dias, Maria pôs-se a caminho e dirigiu-se à pressa para a montanha, a uma cidade da Judeia. Entrou em casa de Zacarias e saudou Isabel. Quando Isabel ouviu a saudação de Maria, o menino saltou-lhe de alegria no seio e Isabel ficou cheia do Espírito Santo. Então, erguendo a voz, exclamou: «Bendita és tu entre as mulheres e bendito é o fruto do teu ventre. E donde me é dado que venha ter comigo a mãe do meu Senhor? Pois, logo que chegou aos meus ouvidos a tua saudação, o menino saltou de alegria no meu seio. Feliz de ti que acreditaste, porque se vai cumprir tudo o que te foi dito da parte do Senhor.»
 
Da Bíblia Sagrada
 
Comentário ao Evangelho
 
«O menino saltou de alegria no meu seio»
 
Que mistério novo e admirável! João não nasceu ainda e já fala através dos seus saltos. Ainda não apareceu e já profere anúncios. Ainda não pode gritar e já se faz ouvir através dos seus actos. Ainda não começou a sua vida e já prega a Deus. Ainda não vê a luz e já aponta para o Sol. Ainda não foi dado ao mundo e já se apressa a agir como precursor. O Senhor está ali: ele não é capaz de se conter, não suporta os limites fixados pela natureza, esforça-se por romper a prisão do seio materno e procura dar a conhecer antecipadamente a vinda do Salvador. Ele diz: «Aquele que rompe as cadeias chegou e eu continuo em cadeias, sou forçado a continuar aqui? O Verbo vem para restabelecer tudo e eu permaneço cativo? Vou sair e vou correr diante d'Ele e proclamarei a todos: Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo!» (Jo 1, 29)
 
Mas diz-nos, João: ainda retido na obscuridade do seio da tua mãe, como é que vês e ouves? Como contemplas as coisas divinas? Como podes tu saltar e exultar? Ele responde: «Grande é o mistério que se cumpre – é um feito que escapa à compreensão do homem. Tenho o direito de inovar na ordem natural por causa d'Aquele que deve inovar na ordem sobrenatural. Vejo antes mesmo de nascer, porque vejo em gestação o Sol de Justiça (Ml 3, 20). Apercebo-me pelo ouvido porque, vindo ao mundo, sou a voz que precede o grande Verbo. Grito porque contemplo, revestido da Sua carne, o Filho único do Pai. Exulto porque vejo o Criador do universo receber a forma humana. Salto de alegria porque penso que o Redentor do mundo tomou corpo. Sou o precursor da Sua vinda e antecipo o vosso testemunho com o meu.»

 



publicado por saozinhasimoes às 17:55
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

Terça-feira, 13 de Outubro de 2009
BEATA ALEXANDRINA DE BALASAR

Beata Alexandrina Maria da Costa Alexandrina Maria nasceu em Balasar (Portugal) no dia 30 de março de 1904, aos 14 anos não hesitou em jogar-se pela janela para fugir de três homens que ameaçavam a sua pureza. As consequências foram terríveis, mas não imediatas; depois de alguns anos, ela foi obrigada a ficar em cama por causa de uma paralisia que foi agravando-se durante os trinta anos que lhe restou de vida. Ela não se desesperou e abandonou-se nas mãos de Jesus com essas palavras: “Jesus, Tu és prisioneiro no tabernáculo como eu sou na minha cama, assim fazemos companhia um ao outro”.

Em seguida começou a ter experiências místicas cada vez mais fortes que começavam numa sexta-feira, 3 de outubro de 1938 e terminavam no dia 24 de março de 1942. Experimentou 182 vezes, todas as sextas-feiras, os sofrimentos da Paixão e desde 1942 até o dia da sua morte, Alexandrina alimentou-se unicamente da Eucaristia por mais de treze anos.

Depois dos dez longos anos de paralisia que ela havia oferecido para a reparação Eucarística e para a conversão dos pecadores, no dia 30 de julho de 1935 Jesus apareceu-lhe e lhe disse: “Eu te coloquei no mundo para que vivas somente de Mim, para testemunhar ao mundo o valor da Eucaristia (...) A cadeia mais forte que acorrenta as almas a Satanás é a carne, é a impureza. Nunca se viu antes uma expansão
de vícios, de maldades e crimes como hoje! Nunca se pecou tanto (...) A Eucaristia, o meu Corpo e o Meu Sangue! A Eucaristia: eis a salvação do mundo".


Também a Virgem Maria apareceu-lhe no dia 2 de setembro de 1949 com um terço na mão, dizendo: “O mundo agoniza e morre no pecado. Quero oração, quero penitência. Protege com o meu terço aos que amas e a todo o mundo”. No dia 13 de outubro de 1955, aniversário da última aparição de Nossa Senhora de Fátima, Alexandrina exclamou: “Sou feliz porque vou ao Céu”. Às 19:30 h desse mesmo dia expirou.

Conhecida como a "Santinha de Balasar", Alexandrina foi beatificada pelo Papa João Paulo II, a 25 de Abril de 2004. A cura milagrosa de uma devota emigrada na França serviu para concluir o seu processo de Beatificação. Balazar, atualmente, é o segundo local de maior peregrinação em Portugal após Fátima.

Beata Alexandrina Maria da Costa, rogai por nós!
 



publicado por saozinhasimoes às 11:39
link do post | comentar | favorito

Terça-feira, 7 de Julho de 2009
A FÉ MOVE MONTANHAS

 

Jesus ensinou-nos o segredo do poder da fé. É fundamental cultivar a fé, pois é com a fé que nós olhamos as coisas e as vemos como Jesus as via. O alimento da fé cristã é a Palavra de Deus, a qual nos comunica as verdades do mistério de Deus e do mistério do Homem. Mas não basta alimentar a fé, isto é, não basta vermos as coisas como Deus as vê. É preciso exercitarmos a fé.

Exercitar a fé é tomar atitudes, opções, decisões e escolhas de acordo com o que a Palavra de Deus nos transmite.É mediante o exercício da fé que podes fazer maravilhas semelhantes às que Jesus fez.  A Palavra de Deus diz-nos, por exemplo, que Deus está em nós e está disponível para nós vinte e quatro horas por dia. Exercitar a fé significa actuar de acordo com esta verdade. É importante sabermos que a fé não é apenas um saber. A fé é também uma maneira de agir em sintonia com Deus que, pela Sua Palavra, se revela ao Homem, dizendo-lhe quem é e qual o seu plano para a Humanidade.

É muito importante tomar Deus a sério e agir de acordo com aquilo que o Senhor nos revela. Nas nossas escolhas, decisões, atitudes e comportamentos devemos proceder contando sempre com Deus. Eis o princípio a termos presente no exercício da fé: contar com Deus sempre. Tentar a Deus nunca.

Tentar a Deus significa pretender que Deus faça o que nos compete fazer a nós.Deus está connosco, mas não está em nosso lugar. Deus nunca nos substitui, a fim de nos realizarmos como pessoas livres, conscientes responsáveis, únicas, originais e irrepetíveis. Se, por exemplo, estudei para o exame, devo exercitar a fé e dizer ao Senhor: sei que fiz o que devia e tu agora vais avaliar o resultado do meu trabalho. Ajuda-me para que tudo o que estudei se torne presente na minha mente. Neste caso, Deus estará comigo, avaliando o resultado do meu trabalho.

Podemos ter a certeza de que Deus é sempre verdadeiro e fiel. Mas não devemos fazer preguiça, pensando que Deus nos vai substituir, metendo-nos magicamente na cabeça as coisas que não estudamos. Tentar a Deus é não ser sério consigo nem com Deus.

As pessoas que procuram tomar Deus a sério, exercitando a sua fé, tornam-se fortes.

O medo começa a desaparecer das suas vidas e começam a ser capazes de fazer coisas que nunca conseguiriam sem o exercício da fé. A fé activa no interior da pessoa uma série de forças espirituais que, segundo um exemplo dado por Jesus, nos torna capazes de remover as próprias montanhas.

As montanhas são os problemas e dificuldades capazes de destruir a pessoa que não se exercita na fé. Com a força da fé, somos capazes de fazer maravilhas e transformar o mundo.

Um dia Jesus ia com os discípulos no barco de um amigo. Estavam a atravessar um lago muito grande. Como estava cansado, Jesus adormeceu. De repente levantou-se uma tempestade terrível. O barco parecia que ia virar-se de um momento para o outro.Jesus continuava a dormir. Os discípulos entram em pânico e perdem o controle. Não foram capazes de exercitar a fé.

Eis uma atitude de alguém que, neste caso exercitasse a fé: “Meu Deus, sei que estás comigo e que, portanto, nada me pode acontecer que eu e tu, em conjunto, não possamos resolver. Inspira-me a atitude certa que devo tomar neste momento”.Mas os discípulos não actuaram assim.

Cheios de medo, começam a gritar e, desesperados, agitam Jesus para que acorde: “Jesus, acorda e salva-nos, pois vamos morrer aqui todos”! Jesus olhou e viu o rosto aterrorizado dos discípulos.Como tinha muita fé, Jesus não sentiu medo nenhum. Os discípulos, nervosos e em pânico disseram-lhe: “não fazes nada, Senhor”!

Jesus pôs-se de pé e com a força da fé que estava dentro dele fez que tudo ficasse calmo, a começar pelos corações dos discípulos que estavam mais alterados do que as ondas do lago.Jesus aproveita este incidente para ensinar aos discípulos o exercício da fé.

Eis as palavras de Jesus: parece impossível haver em vós tão pouca fé!

Como Jesus já tinha ensinado muitas coisas aos discípulos, esperava que eles já fossem capazes de exercitar mais a fé.Apesar disto, Jesus era muito compreensivo com a pouca fé dos discípulos. Ele sabia que os discípulos ainda não tinham recebido o Espírito Santo.

Jesus disse-lhes então que, após a sua ressurreição, lhes ia enviar o Espírito Santo. Quando o Espírito Santo vier, disse Jesus, Ele vos ensinará todas as coisas.

De facto, depois de Jesus ressuscitar o Espírito Santo veio e tornou os Apóstolos uns verdadeiros gigantes. A sua vida passou a ser um exercício permanente de fé, graças ao qual tinham força para ir anunciar o Evangelho pelo mundo inteiro e dar a vida por Cristo.

Foi assim que os discípulos compreenderam que, pela fé, recebemos a sabedoria para entendermos os mistérios de Deus e a força para transformarmos o mundo!

Depois da ressurreição de Jesus, os discípulos ficaram cheios de confiança em Deus, pois sabiam que, com Deus, todas as montanhas seriam removidas.Foi então que os discípulos, cheios do Espírito Santo, Começaram a evangelizar e a fazer milagres graças à grande força da fé que estava neles.Como fomos baptizados no Espírito de Cristo, também nós somos chamados a transformar o coração das pessoas, anunciando-lhes o Evangelho, como fizeram os discípulos de Jesus.

 
 

 


tags:

publicado por saozinhasimoes às 23:56
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

MUSICA RELAXANTE
posts recentes

Santa Maria, Mãe de Deus

HUMILDADE

ORAÇÃO DE UM JOVEM TRISTE

AS LÁGRIMAS DE UMA MÃE

«O menino saltou de alegr...

BEATA ALEXANDRINA DE BALA...

A FÉ MOVE MONTANHAS

arquivos

Outubro 2012

Julho 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Outubro 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30
31


links