SÓ DEUS PODE DAR AMOR, MAS TU PODES ENSINAR A AMAR... SÓ DEUS É O CAMINHO, MAS TU PODES INDICÁ-LO AOS OUTROS... SÓ DEUS É A LUZ, MAS TU PODES FAZÊ-LA BRILHAR... SÓ DEUS SE BASTA A SI MESMO, MAS QUER PRECISAR DE TI E CONTAR CONTIGO...
Domingo, 29 de Abril de 2007
HOMENAGEM A UM AMIGO


Hoje eu quero homenagear uma pessoa muito especial
Um amigo muito querido que sempre, sempre está comigo
Nas horas felizes, ele está presente
Nas horas mais difíceis, principalmente.

Na verdade ele é mais que um amigo
É o meu irmão mais velho e muito querido
É com ele que me abro e revelo todos meus segredos
É por ele que chamo durante os pesadelos.

Estou sempre com ele, pois com ele quero aprender
Dia e noite, noite e dia, sem de nada me esquecer
Sei que nele posso confiar, pois me protege e me guia
Não me deixando vacilar.

Gosto de me recostar em seu colo e deitar,
E na sua paz descansar.
Passo com ele 24h todos os dias
E às vezes, até chego, com Ele a sonhar.

Não há nada em mim que Ele desconheça
Porque dele não escondo nada, mesmo que o entristeça
Ao seu lado sou criança
E por mais que eu erre, me perdoa, e nunca perde a esperança.

E de cuidar de mim, nunca se cansa
Sei que ao seu lado sou pequeno e nele está minha fé
Sou seu irmão mais novo, sempre criança, e nunca largo do seu pé
E como criança, às vezes o deixo falando sozinho.

Mas não é por desobediência ou má-criação
É o cansaço que me pega, o sono que chega
Sem nenhuma compaixão
E quando acordo, vou logo lhe falar
E pedir o seu perdão.

Ele é o meu super herói e é nele que me inspiro.

E procuro na minha fraqueza e na minha fragilidade
Juntar forças e humildemente segui-lo
E quando lhe perguntam: quem és?
Ele costuma dizer: Sou o Caminho, a Verdade e a Vida
E sou o que te tira das trevas para a luz
E se ainda não sabe quem é o meu amigo e irmão...


É o meu Senhor Jesus!

 



publicado por saozinhasimoes às 12:19
link do post | comentar | favorito

Domingo, 22 de Abril de 2007
III DOMINGO DA PÁSCOA

 

EVANGELHO – Jo 21,1-19

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São João

Naquele tempo,
Jesus manifestou-Se outra vez aos seus discípulos,
junto do mar de Tiberíades.
Manifestou-Se deste modo:
Estavam juntos Simão Pedro e Tomé, chamado Dídimo,
Natanael, que era de Caná da Galileia,
os filhos de Zebedeu e mais dois discípulos de Jesus.
Disse-lhes Simão Pedro: «Vou pescar».
Eles responderam-lhe: «Nós vamos contigo».
Saíram de casa e subiram para o barco,
mas naquela noite não apanharam nada.
Ao romper da manhã, Jesus apresentou-Se na margem,
mas os discípulos não sabiam que era Ele.
Disse-lhes Jesus:
«Rapazes, tendes alguma coisa de comer?»
Eles responderam: «Não».
Disse-lhes Jesus:
«Lançai a rede para a direita do barco e encontrareis».
Eles lançaram a rede
e já mal a podiam arrastar por causa da abundância de peixes.
O discípulo predilecto de Jesus disse a Pedro:
«É o Senhor».
Simão Pedro, quando ouviu dizer que era o Senhor,
vestiu a túnica que tinha tirado e lançou-se ao mar.
Os outros discípulos,
que estavam apenas a uns duzentos côvados da margem,
vieram no barco, puxando a rede com os peixes.
Quando saltaram em terra,
viram brasas acesas com peixe em cima, e pão.
Disse-lhes Jesus:
«Trazei alguns dos peixes que apanhastes agora».
Simão Pedro subiu ao barco
e puxou a rede para terra,
cheia de cento e cinquenta e três grandes peixes;
e, apesar de serem tantos, não se rompeu a rede.
Disse-lhes Jesus: «Vinde comer».
Nenhum dos discípulos se atrevia a perguntar-Lhe:
«Quem és Tu?»,
porque bem sabiam que era o Senhor.
Jesus aproximou-Se, tomou o pão e deu-lho,
fazendo o mesmo com os peixes.
Esta foi a terceira vez
que Jesus Se manifestou aos seus discípulos,
depois de ter ressuscitado dos mortos.

Depois de comerem,
Jesus perguntou a Simão Pedro:
«Simão, filho de João, tu amas-Me mais do que estes?»
Ele respondeu-Lhe:
«Sim, Senhor, Tu sabes que Te amo».
Disse-lhe Jesus: «Apascenta os meus cordeiros».
Voltou a perguntar-lhe segunda vez:
«Simão, filho de João, tu amas-Me?»
Ele respondeu-lhe:
«Sim, Senhor, Tu sabes que Te amo».
Disse-lhe Jesus: «Apascenta as minhas ovelhas».
Perguntou-lhe pela terceira vez:
«Simão, filho de João, tu amas-Me?»
Pedro entristeceu-se
por Jesus lhe ter perguntado pela terceira vez se O amava
e respondeu-Lhe:
«Senhor, Tu sabes tudo, bem sabes que Te amo».
Disse-lhe Jesus: «Apascenta as minhas ovelhas.
Em verdade, em verdade te digo:
Quando eras mais novo,
tu mesmo te cingias e andavas por onde querias;
mas quando fores mais velho,
estenderás a mão e outro te cingirá
e te levará para onde não queres».
Jesus disse isto para indicar o género de morte
com que Pedro havia de dar glória a Deus.
Dito isto, acrescentou: «Segue-Me».

 

BILHETE DE EVANGELHO.
A vida retomou o seu ritmo para os apóstolos: reencontram a sua profissão, o seu barcos e as redes, mesmo se a vida já não é como antes. Viram o Ressuscitado, Ele apareceu-lhes, reconheceram-n’O, o Espírito foi derramado sobre eles, mas a passagem do ver ao reconhecer não é evidente. João, já diante do túmulo vazio, viu e acreditou. É necessário o seu acto de fé proclamado – “É o Senhor!” – para que Pedro se lance à água para a pesca. Encontramos a espontaneidade tão humana de Pedro e, ao mesmo tempo, a sua espontaneidade de crente. Os discípulos fazem, nesse dia, a experiência da prodigalidade do amor de Deus: não conseguem arrastar as redes, dada a quantidade de peixe. Fazem também a experiência da universalidade da salvação: havia 153 grandes peixes, número que evoca, segundo S. Jerónimo, todas as espécies de peixes enumerados na época. É, então, graças a um sinal que os discípulos reconhecem o Ressuscitado. Jesus Cristo não tem mais necessidade de dizer quem Ele é… Eles sabem que Ele é o Senhor

 

PALAVRA PARA O CAMINHO.
Manifestar a minha fé de baptizado… Crer em Jesus ressuscitado implica testemunhá-l’O. Isso era verdade há 2000 anos. Ainda hoje continua a ser verdade… No concreto da minha vida quotidiana: família, trabalho, escola, escritório, fábrica, bairro… o que ouso arriscar em nome da minha fé em Cristo? Esta semana, se a ocasião se apresenta, com que palavra e com que acção vou manifestar o meu compromisso de baptizado? «Pedro, tu amas-Me verdadeiramente?» Crer é verdadeiramente uma história de amor no quotidiano!

 

 



publicado por saozinhasimoes às 13:41
link do post | comentar | favorito

Segunda-feira, 16 de Abril de 2007
PINCELADAS DA VIDA

 

Escuta, meu Deus! É a primeira vez que te falo. Mas agora quero perguntar-te: Como vais?

Vê só, meu Deus: disseram-me que Tu não existias e eu, como um verdadeiro tolo, acreditei.

Na outra noite, quando eu estava de sentinela na trincheira, comecei a olhar para o céu. Vi as estrelas que brilhavam e toda a imensidão do Universo.

Foi então que descobri que me tinham mentido. Se eu me tivesse dado trabalho de observar tudo o que fizeste, teria compreendido que era impossível Tu não existires. Tal obra só podia vir das Tuas mãos, meu Deus!

Agora, eu pergunto-me: Será que aceitarias, meu Deus, apertar a minha mão? Olhar os meus olhos e ver o quanto falo verdade? Sinto que me entenderás! Existe dentro de mim um lugar profundo onde sei que Tu estás.

Interessante! Foi preciso que eu viesse a este inferno de guerra, para ter tempo de conhecer a Tua face!

Bem, não tenho muito mais a dizer-Te . contudo, estou feliz porque hoje Te encontrei.

Parece que se aproxima uma batalha feroz. Todavia, já não tenho medo, porque sei que estás aqui por perto.

Tocou o sino. Tenho que ir andando. Não posso estar mais tempo.

Faço questão que saibas que Te amo muitíssimo. Quem sabe se ainda esta noite irei fazer-Te uma visita?!

Embora não fosse Teu amigo no passado, gostaria de saber, meu Deus, se me esperarias à porta de Tua casa. Ora, ora, estou quase a chorar, tenho os olhos marejados.

Como eu gostaria de ter-Te conhecido há mais tempo!

Tocou de novo. Preciso de ir. Até logo, meu Deus.

Engraçado, depois do nosso encontro, até já perdi o medo de morrer!

 

(Escrito encontrado no bolso de um soldado americano, morto durante a guerra)



publicado por saozinhasimoes às 21:27
link do post | comentar | favorito

Quarta-feira, 11 de Abril de 2007
AMAI-VOS UNS AOS OUTROS



publicado por saozinhasimoes às 20:03
link do post | comentar | favorito

Domingo, 8 de Abril de 2007
DOMINGO DE PÁSCOA. ALELUIA!

 

Evangelho segundo São João 20, 1-9

                 

No primeiro dia da semana, Maria Madalena foi ao túmulo logo de manhã, ainda escuro, e viu retirada a pedra que o tapava.

Correndo, foi ter com Simão Pedro e com o outro discípulo, o que Jesus amava, e disse-lhes: «O Senhor foi levado do túmulo e não sabemos onde o puseram.» Pedro saiu com o outro discípulo e foram ao túmulo. Corriam os dois juntos, mas o outro discípulo correu mais do que Pedro e chegou primeiro ao túmulo.

Inclinou-se para observar e reparou que os panos de linho estavam espalmados no chão, mas não entrou. Entretanto, chegou também Simão Pedro, que o seguira. Entrou no túmulo e ficou admirado ao ver os panos de linho espalmados no chão, ao passo que o lenço que tivera em volta da cabeça não estava espalmado no chão juntamente com os panos de linho, mas de outro modo, enrolado noutra posição. Então, entrou também o outro discípulo, o que tinha chegado primeiro ao túmulo. Viu e começou a crer, pois ainda não tinham entendido a Escritura, segundo a qual Jesus devia ressuscitar dos mortos.

 

COMENTÁRIO: A Ressurreição de Jesus permitiu às primeiras testemunhas afirmarem que Jesus era verdadeiramente o Filho de Deus e passaram a chamá-lo «Senhor», título que na Bíblia se dava somente a Deus. Deram por isso o nome de «Dia do Senhor» ao primeiro dia da semana. Em latim diz-se «Dominica Dies» que dará origem à palavra «Domingo».

Mesmo se na sociedade o Domingo parece ser o último dia da semana, para os cristãos sabemos que ele é o início de uma nova etapa, e por isso o primeiro dia da semana.

 

Um dia virá em que, aquilo que aconteceu com a ressurreição de Jesus, o amor de Deus mais forte do que a morte e o mal, acontecerá com todos os homens.

As curas que Jesus operou são sinais que anunciam esse dia da vitória de Deus.

 

 


tags:

publicado por saozinhasimoes às 00:05
link do post | comentar | favorito

Sábado, 7 de Abril de 2007
SÁBADO SANTO

«Bom dia… aqui, sabem… não se passa nada…»

Podes imaginar um enviado especial a dizer isto?

No entanto, deve ter sido isto que pensavam muitas pessoas depois da morte de Jesus. Tinha acabado tudo. A Sua história tinha terminado, nunca mais se falaria de nada! Os amigos de Jesus sentem o «silêncio de Deus»: Deus não intervém de uma maneira mágica para impedir os homens de realizarem os seus desígnios, de fazer isto ou de passar por aquilo.

 

COMENTÁRIO: Muitos dos meus amigos não acreditam em Ti, nem sequer ouviram falar de Ti verdadeiramente!

Eu não ouso muito romper este silêncio.

Sim, por vezes a minha vida parece um Sábado – Santo!

Parece que nada se passa: a vida continua para os vivos como se nada tivesse acontecido.

Amanhã ou depois, os mortos serão esquecidos.

Mas eu sei, acredito, que amanhã será um outro dia!

Mas eu sei, acredito, que amanhã Tu te levantarás do túmulo e que a vida brotará eternamente.

O amor terá a última palavra.

Sim, eu acredito!



publicado por saozinhasimoes às 20:37
link do post | comentar | favorito

Sexta-feira, 6 de Abril de 2007
SEXTA-FEIRA SANTA

 

 

Evangelho segundo São João 19, 10-30

 

Pilatos disse-lhe, então: «Não me dizes nada? Não sabes que tenho o poder de te libertar e o poder de te crucificar?» Respondeu-lhe Jesus: «Não terias nenhum poder sobre mim, se não te fosse dado do Alto. Por isso, quem me entregou a ti tem maior pecado.»

Jesus, levando a cruz às costas, saiu para o chamado lugar da Caveira, que em hebraico se diz Gólgata, onde o crucificaram, e com Ele outros dois, um de cada lado, ficando Jesus no meio.

Pilatos redigiu um letreiro e mandou pô-lo sobre a cruz. Dizia: «Jesus Nazareno, Rei dos Judeus.» Este letreiro foi lido por muitos judeus, porque o lugar onde Jesus tinha sido crucificado era perto da cidade e o letreiro estava escrito em hebraico, em latim e em grego. Então, os sumos-sacerdotes dos judeus disseram a Pilatos: «Não escrevas “Rei dos Judeus”, mas sim: Este homem afirmou: “Eu sou Rei dos Judeus.” Pilatos respondeu: «O que escrevi, escrevi.» Os soldados, depois de terem crucificado Jesus, pegaram na roupa dele e fizeram quatro partes, uma para cada soldado, excepto a túnica. A túnica, toda tecida de uma só peça de alto a baixo, não tinha costuras. Então, os soldados disseram uns para os outros: «Não a rasguemos; tiremo-la à sorte, para ver a quem tocará.» Assim se cumpriu a Escritura, que diz: Repartiram entre eles as minhas vestes e sobre a minha túnica lançaram sortes.

E foi isto o que fizeram os soldados.

Junto à cruz de Jesus estavam de pé, sua mãe e a irmã da sua mãe, Maria, a mulher de Cléofas, e Maria Madalena. Então, Jesus, ao ver ali ao pé a sua mãe e o discípulo que Ele amava, disse à mão: «Mulher, eis aí o teu filho!» Depois, disse ao discípulo: «Eis a tua mãe!» E, desde aquela hora, o discípulo acolheu-a como sua. Depois disso, Jesus, sabendo que tudo se consumara, para se cumprir totalmente a Escritura, disse: «Tenho sede!» Havia ali uma vasilha cheia de vinagre. Então, ensopando no vinagre uma esponja fixada num ramo de hissopo, chegaram-lhe à boca.

Quando tomou o vinagre, Jesus disse: «Tudo está consumado.» E, inclinando a cabeça, entregou o espírito.

 

COMENTÁRIO: O suplício da cruz; era assim que os condenados à morte eram punidos em certos países.

 Preso a uma trave de madeira, o «crucificado» tinha uma morte lenta, por asfixia: um sofrimento horrível.

Quem poderia imaginar que o enviado de Deus, o Seu próprio Filho, não seria reconhecido e estimado no seu devido valor! Contudo, foi o que aconteceu há 2000 anos, em Jerusalém. Sim, Jesus morreu crucificado. Por isso, Ele não veio explicar o mal, o sofrimento e a morte: Ele padeceu-os! Poderíamos dizer que, com Ele, Deus foi crucificado pela maldade da humanidade e sofre connosco por causa dela.

 

Quando eu olho para a cruz, fico revoltado:

Porque é que a maldade foi mais forte do que o amor, naquele dia?

Perdão, Senhor, por causa da violência da humanidade

Que impede que o amor se estenda ao coração de todos os homens.

Perdão pelas nossas próprias violências,

Pelas palavras más que dizemos quando estamos irritados.

Tu deste a tua vida para que nós vivamos de amor;

É isso que Tu nos dizes… quando Te vemos na cruz.



publicado por saozinhasimoes às 16:44
link do post | comentar | favorito

Quinta-feira, 5 de Abril de 2007
QUINTA-FEIRA SANTA

 

Evangelho segundo São João 13, 1-15

 

Antes da festa da Páscoa, Jesus, sabendo bem que tinha chegado a sua hora da passagem deste mundo para o Pai, Ele, que amara os seus que estavam no mundo, levou o seu amor por eles até ao extremo. O diabo já tinha metido no coração de Judas, filho de Simão Iscariotes, a decisão de o entregar. Enquanto celebravam a ceia, Jesus, sabendo perfeitamente que o Pai tudo lhe pusera nas mãos, e que saíra de Deus e para Deus voltava, levantou-se da mesa, tirou o manto, tomou uma toalha e atou-a à cintura. Depois deitou água na bacia e começou a lavar os pés aos discípulos e a enxugá-los com a toalha que atara à cintura. Chegou, pois, a Simão Pedro. Este disse-lhe: «Senhor, Tu é que me lavas os pés?» Jesus respondeu-lhe: «O que Eu estou a fazer tu não o entendes por agora, mas hás-de compreendê-lo depois. «Disse-lhe Pedro: «Não! Tu nunca me hás-de lavar os pés!» Replicou-lhe Jesus: «Se não te lavar, nada terás a haver comigo.» Disse-lhe, então, Simão Pedro: «Ó Senhor! Não só os pés, mas também as mãos e a cabeça!» Respondeu-lhe Jesus: «Quem tomou banho não precisa de lavar senão os pés, pois está todo limpo. E vós estais limpos, mas não todos.» Ele bem sabia quem o ia entregar; por isso é que lhe disse: “Nem todos estais limpos”. Depois de lhes ter lavado os pés e de ter posto o manto, voltou a sentar-se à mesa e disse-lhes:

«Compreendeis o que vos fiz? Vós chamais-me “O Mestre” e “O Senhor”, e dizeis bem, porque o sou. Ora, se Eu, o Senhor e o Mestre, vos lavei os pés, também vós deveis lavar os pés uns aos outros.

Na verdade, dei-vos exemplo para que, assim como Eu fiz, vós façais também.

 

COMENTÁRIO: No tempo de Jesus, as pessoas andavam descalças, em caminhos de terra, de muita poeira.

Os costumes daquela época mostrou que lavar os pés a alguém era considerado como um gesto humilhante, reservado aos escravos não judeus.

O Evangelho de São João, reteve este sinal para evocar os acontecimentos de Quinta-Feira Santa, é certamente para nos dizer que este gesto é de uma grande importância para se compreender quem é Jesus, e quem é na verdade Deus, Seu Pai!

 

Senhor, eu sou apenas uma pessoa sozinha e não posso mudar o mundo e reparar todas as asneiras dos homens. Mas Tu dizes-me, Jesus, que com um pouco de amor podemos mudar muitas coisas.

 

Sim, Jesus,

Tu pões o avental dos servos,

Colocas-te aos pés dos teus amigos.

Quem poderia imaginar que fosses tão longe

Para nos fazer compreender que nos amas e

Que é assim que nós nos devemos amar também uns aos outros?

 

Ensina-me a estar ao serviço dos outros,

Daqueles que possam ter necessidade de mim.

Dá-me força para eu ir ao encontro dos outros,

Mesmo quando preferiria que fossem os outros a cuidar de mim.

 

Como não te agradecer todas estas palavras e gestos,

estas palavras que compreendi um pouco melhor

porque estavas comigo no caminho do amor,

no caminho da PÁSCOA.



publicado por saozinhasimoes às 17:39
link do post | comentar | favorito

Quarta-feira, 4 de Abril de 2007
PROCURA-SE

Está sendo procurado um homem considerado Galileu, trinta e três anos, pele clara e expressão triste, cabelos longos e barba maltratada, marcas de sangue nas mãos e nos pés, caminha habitualmente acompanhado de mendigos e vagabundos, doentes e mutilados, cegos e infelizes...

Onde aparece, frequentemente, é visto entre grande séquito de mulheres, sendo algumas de má vida, e com crianças esfarrapadas.

Quase sempre está acompanhado por doze pescadores e marginais.
Demonstra respeito para com as autoridades, determinando que se dê a César o que é de César, mas espalha ensinamentos contrários à Lei antiga, como sejam:

- O perdão das ofensas; O amor aos inimigos; A oração em favor daqueles que nos perseguem ou caluniam; A distribuição indiscriminada de dádivas com os necessitados;  O amparo aos enfermos, sejam eles quais forem...
- E chega ao cúmulo de recomendar que uma pessoa espancada numa face ofereça a outra ao agressor.

Ainda não se sabe se é um mágico, mas testemunhas idóneas afirmam que ele multiplicou cinco pães e dois peixes em alimentação para mais de cinco mil pessoas, tendo sobrado doze cestos.

Considerado impostor por haver trazido pessoas mortas à vida, foi preso e espancado. Sentenciado à morte, com absoluta aprovação do próprio povo, que o condenou, dando a preferência de libertação a Barrabás, malfeitor conhecido, recebeu insultos com a cruz às costas. Não se ofendeu, quando questionado pela Justiça, complicando-se-lhe a situação, porque os seus próprios seguidores o abandonaram nas horas difíceis.

Sob afrontas e zombarias, foi crucificado entre dois ladrões. Não teve parentes que lhe demonstrassem solidariedade, a não ser sua mãe, uma frágil mulher que chorava aos pés da cruz.

Depois de morto, não se encontrou lugar para sepultá-lo, senão o lodoso recanto de um túmulo por favor de um amigo.
Após o terceiro dia sepultado, desapareceu do sepulcro e já foi visto por diversas pessoas que o identificaram pelas chagas sangrentas dos pés e das mãos.

Esse é o homem que está sendo cuidadosamente procurado.
Seu nome é Jesus de Nazaré...

Se puderes encontrá-lo, deves segui-lo para sempre.

 

 



publicado por saozinhasimoes às 22:57
link do post | comentar | favorito

Domingo, 1 de Abril de 2007
DOMINGO DE RAMOS E DA PAIXÃO

SEMANA SANTA

Evangelho segundo São Lucas 19,28-40

 

Ao aproximar-se de Betfagé e de Betãnia, junto do chamado Monte das Oliveiras, Jesus enviou dois dos seus discípulos, dizendo: «Ide à aldeia em frente e, ao entrardes nela, encontrareis um jumentinho preso, que ninguém montou ainda; soltai-o e trazei-mo. E se alguém vos perguntar: “Porque o soltais?”, respondereis assim: “O Senhor precisa dele”.»

Os enviados partiram, e tudo se lhes deparou como Ele tinha dito. Quando estavam a soltar o jumentinho, os donos disseram-lhes: «Porque soltais o jumentinho?» Responderam-lhes: «Porque o Senhor precisa dele.» Levaram-no a Jesus e, deitando as capas sobre o jumentinho, ajudaram Jesus a montar. Enquanto caminhava, estendiam as capas no caminho. Estando já próximo da descida do Monte das Oliveiras, o grupo dos discípulos começou a louvar alegremente a Deus, em voz alta, por todos os milagres que tinham visto. E diziam: «Bendito seja o Rei que vem em nome do Senhor! Paz no Céu e glória nas alturas!» Alguns fariseus disseram-lhe, do meio da multidão: «Mestre, repreende os teus discípulos.» Jesus retorquiu: «Digo-vos que, se eles se calarem, gritarão as pedras.»

 

COMENTÁRIO: As passagens bíblicas que vamos descobrir ao longo desta semana foram escritas muito depois da morte de Jesus. Não havia jornalistas nas ruas de Jerusalém quando tudo isto se passou. Se tivesse sido o caso, provavelmente ele só teria assinalado a prisão de um agitador. Somente a fé em Jesus vivo e ressuscitado permite compreender esta grande semana! Os discípulos, mais tarde, terão a coragem de anunciar estes acontecimentos em detrimento da sua própria vida. O Salvador que o povo esperava não era um Rei como os outros!

 

As pessoas de Jerusalém gritavam: «Bendito o Rei que vem em nome do Senhor. Paz na terra e glória nas alturas!»

É com estas mesmas palavras que a Bíblia falava daquele que viria libertar o seu povo.

 

Jesus, quando entraste em Jerusalém, todos te aclamaram, aplaudiram… pelo menos aqueles que te reconheceram.

 

Eu não sei o que teria feito nessa ocasião; talvez como toda a gente, sem pensar verdadeiramente na Boa Nova que tinhas vindo anunciar.

Mas hoje não me posso calar. Tu transformaste a vida de tanta gente, deste esperança a tantos que a tinham perdido.

 

Também eu te quero dizer

Obrigado por estares junto de nós,

Junto de mim,

Apesar de, por vezes, eu o esquecer.

No segredo do meu coração,

Quero cantar «Hossana!»

E na Missa pensarei novamente

Que estás connosco

Quando te aclamaram todos

Com as mesmas palavras:

«Viva, Jesus, Hossana!»

 

 



publicado por saozinhasimoes às 00:11
link do post | comentar | favorito

MUSICA RELAXANTE
TRADUÇÃO
posts recentes

OS MESTRES DO MESTRE

O QUE DEVO FAZER PARA ALC...

O MAIOR HOMEM DA HISTÓRIA

O PÃO DE CRISTO

SINAIS DE DEUS

SANTA MÃE DE DEUS, MARIA....

FELIZ ANO NOVO

«Eu Hoje Te Gerei»

IMACULADA CONCEIÇÃO DA VI...

«Não sou digno de me incl...

arquivos

Outubro 2012

Julho 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

GEOCLOCK

contador gratis
Outubro 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30
31


links
VIDEO-FAZ-TE AO LARGO
contador

Contador Grátis