SÓ DEUS PODE DAR AMOR, MAS TU PODES ENSINAR A AMAR... SÓ DEUS É O CAMINHO, MAS TU PODES INDICÁ-LO AOS OUTROS... SÓ DEUS É A LUZ, MAS TU PODES FAZÊ-LA BRILHAR... SÓ DEUS SE BASTA A SI MESMO, MAS QUER PRECISAR DE TI E CONTAR CONTIGO...
Sexta-feira, 12 de Outubro de 2012
OS MESTRES DO MESTRE

Quando o grande mestre Hasan, estava morrendo, 

alguém lhe perguntou:

- "Hasan, quem foi seu mestre?

" E ele respondeu: -

"Eu tive milhares de mestres.

Se eu for mencionar todos levarei meses, anos até. 

Mas três mestres certamente eu posso mencionar".

- "Um, foi um ladrão.

Uma vez eu me perdi no deserto, e quando cheguei a 

uma um aldeia era tarde da noite e tudo estava

 fechado. Mas achei um homem que estava tentando

 entrar numa casa através de um buraco na parede. 

Eu lhe perguntei onde poderia  ficar e ele disse que

 naquela hora da noite seria difícil, mas que eu 

poderia ficar com ele desde que eu não me 

importasse  de ficar com um ladrão".

- "E o homem me tratava tão bem.

 Eu fiquei durante um mês! E toda noite ele me dizia,

'Agora eu vou para meu trabalho.

 Você descansa, você reza.'

E sempre que ele voltava eu perguntava

 'Você conseguiu alguma coisa?

' E ele dizia, 'Nesta noite não.

 Mas amanhã eu tentarei novamente, se Deus quiser.'

 Ele nunca perdia a esperança, estava sempre feliz".

- "Quando eu executava meu trabalho e nada acontecia 

ou melhorava, eu ficava desesperado, tão desesperado

 que muitas  vezes eu pensei em parar com tudo.

E de repente me lembrava do ladrão que dizia 

todas as noites:

'Se Deus quiser, amanhã vai acontecer'."

 - "Meu segundo mestre foi um cachorro.

 Certa vez, eu estava muito sedento  e fui até um rio 

e veio um cachorro.

 Ele também estava sedento.

Ele olhou para o rio e viu outro cachorro

 - sua própria imagem - e ficou amedrontado.

Ele vinha até a beira e corria para longe, mas a sede

 dele  era tanto que ele sempre  voltava. 

Finalmente, apesar do medo, ele saltou  na água e a 

imagem desapareceu.

Eu entendi que havia uma mensagem:

a gente tem que enfrentar, saltar, seguir  em frente, 

apesar de todos os medos".

 - "E o terceiro mestre foi uma pequena criança.

 Eu entrei numa cidade e uma criança estava levando 

uma vela acesa.

Ele ia para a igreja onde deixaria a vela."

- "Brincando, eu perguntei para o menino,  'Tem um 

momento que a sua vela está apagada, e tem um outro

 momento que a vela se acende.

Você pode me mostrar de onde vem a luz?'

". E o menino riu, apagou a vela, e disse,

'Agora você viu que a luz se foi.

 Para onde foi? Você me diz!'.

Meu ego foi destruído, meu conhecimento inteiro

foi estilhaçado.

E naquele momento senti minha estupidez.

Desde então eu repensei todo a minha ciência."

 - "é isto.

A verdade é que eu não tive nenhum mestre.

 Isso não significa que eu não era um discípulo.

Eu aceitei a existência inteira como

meu mestre. Eu confiei nas nuvens, nas árvores.

 Eu confiei na existência como tal.

 Eu não tive nenhum mestre porque eu tive milhões de 

mestres com os quais aprendi tudo o que foi possível.

 Ser um discípulo é um imperativo no caminho. O que é 

necessário para ser um discípulo?

Pretender poder aprender.

Estar disponível para aprender, ser vulnerável à 

existência.

Com um mestre você começa aprender a aprender."

- "Um mestre é como uma piscina onde você pode

aprender a nadar.

Uma vez que você aprende, todos os oceanos são seus".

 

 



publicado por saozinhasimoes às 17:17
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

Segunda-feira, 23 de Julho de 2012
O QUE DEVO FAZER PARA ALCANÇAR A VIDA ETERNA

 

 

 

Quando se punha a caminho, alguém correu para Ele e ajoelhou-se, perguntando:

 

«Bom Mestre, que devo fazer para alcançar a vida eterna?» (Mc. 10,17)

 

Senhor, hoje fazendo nossa  esta pergunta que te fizeram nas estradas da Palestina, queremos exprimir o desejo e a sede de vida, de amor, de felicidade e de alegria plena que cada homem, cada um de nós, sente no profundo do seu coração.

 

Sabemos que este desejo profundo outra coisa não é se não um sinal do nosso destino eterno.

 

Sabemos que, criados à imagem e semelhança de Deus, todos nós somos chamados à eternidade e para estar com Ele para sempre, para gozarmos de uma felicidade sem fim, na alegria de sermos cumulados para sempre do Seu Amor Divino; mas, desde que, com o pecado recusamos o Seu amor, a Sua amizade vivemos, num autêntico drama: andamos sempre à procura da vida, e desejamos ardentemente a vida e a salvação, que Ele nos doou, libertando-nos para sempre da morte e doando-nos a vida eterna.

 

Sim, Senhor, o nosso coração procura ardentemente a vida eterna, a vida plena, a vida verdadeira, mas muitas vezes não conhecemos a estrada para chegar até ela.

 

Procuramos a vida e a felicidade na posse de bens materiais, na glória humana, no poder, na procura do prazer. Procuramos a vida e a alegria na posse do dinheiro que nos dá ilusão de poder para comprar tudo. Quando o sofrimento nos faz experimentar toda a nossa fragilidade, o nosso limite, a nossa impotência, a solidão, o desencorajamento, a vida sem sentido, limitada por tantos condicionamentos que nos tiram a alegria, a esperança, a confiança… Quando fazemos experiência de morte, que inevitavelmente põe fim à nossa vida terrena, damos conta que sem a prospetiva da vida eterna, tudo perde o seu valor.

 

E vem-nos ainda a pergunta? Mestre, que devo fazer para alcançar a vida eterna?

 

Mas qual é a tua resposta? A Tua resposta é o amor.

 

Sim, toda a tua vida, nas palavras e nas obras foi entrelaçada de amor.

 

Pelo Amor com o qual nos amastes até oferecer a Tua vida na cruz, salvastes todos nós, e mostraste-nos assim a vida que nos leva à vida eterna: o dom total, a oferta de si mesmos a Deus e aos irmãos. E hoje com a Tua presença na Eucaristia, Sacramento do Amor onde continuas a oferecer a Tua vida pela nossa salvação, continuas a repetir-nos: «Se queres alcançar a vida eterna, une-te à minha oferta e doa a tua vida, oferece com amor tudo de ti para a salvação dos irmãos». Este Teu convite faz ressoar no nosso coração a pergunta que a Virgem Maria, Tua e nossa Mãe, fez aos Pastorinhos de Fátima: «Quereis oferecer-vos a Deus?» E nós com eles respondemos-te: Sim, queremos!

 

Senhor, sustem com o Teu Amor o nosso sim, e ajuda-nos a repeti-lo sempre, até ao dia onde juntos contigo e com todos os nossos irmãos, gozaremos da alegria da vida verdadeira e eterna.

 

Fonte: Silenciosos Operários da Cruz

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



publicado por saozinhasimoes às 14:01
link do post | comentar | favorito

Domingo, 15 de Julho de 2012
O MAIOR HOMEM DA HISTÓRIA



publicado por saozinhasimoes às 13:08
link do post | comentar | favorito

Quinta-feira, 8 de Março de 2012
O PÃO DE CRISTO

O que se segue é um relato verídico sobre um homem chamado Vitor.
Depois de meses sem encontrar trabalho, viu-se obrigado a recorrer à
mendicante para sobreviver, coisa que o entristecia e envergonhava
muito.

Numa tarde fria de inverno, encontrava-se nas imediações de um clube
social, quando viu chegar um casal.

Víctor lhe pediu algumas moedas para poder comprar algo para comer.

- Sinto muito, amigo, mas não tenho trocado - disse ele.

Sua esposa, ouvindo a conversa perguntou:

- Que queria o pobre homem?

- Dinheiro para comer. Disse que tinha fome - respondeu o marido,

- Lorenzo, não podemos entrar e comer uma comida farta que não
necessitamos e deixar um homem faminto aqui fora!

- Hoje em dia há um mendigo em cada esquina! Aposto que quer dinheiro
para beber!

- Tenho uns trocados comigo. Vou dar-lhe alguma coisa!

Mesmo de costas para eles, Vitor ouviu tudo que disseram.

Envergonhado, queria afastar-se correndo dali, mas neste momento ouviu
a amável voz da mulher que dizia:

- Aqui tens algumas moedas. Consiga algo de comer, ainda que a
situação esteja difícil, não perca a esperança. Em algum lugar existe
um trabalho para você. Espero que encontre.

- Obrigado, senhora. Acabo de sentir-me melhor e capaz de começar de
novo. A senhora me ajudou a recobrar o ânimo! Jamais esquecerei sua
gentileza.

- Você estará comendo o Pão de Cristo! Partilhe-o - disse ela com um
largo sorriso dirigido mais a um homem que a um mendigo.

Vítor sentiu como se uma descarga elétrica lhe percorresse o corpo.

Encontrou um lugar barato para se alimentar um pouco. Gastou a metade
do que havia ganho e resolveu guardar o que sobrara para o outro dia,
comeria 'O Pão de Cristo' dois dias.

Uma vez mais aquela descarga elétrica corria por seu interior. O PÃO DE CRISTO!

- Um momento!, - pensou, não posso guardar o Pão de Cristo somente
para mim. Parecia-lhe escutar o eco de um velho hino que tinha
aprendido na escola dominical. Neste momento, passou a seu lado um
velhinho.

- Quem sabe, este pobre homem tenha fome - pensou - tenho que
partilhar o Pão de Cristo.

- Ouça - exclamou Victor gostaria de entrar e comer uma boa comida?

O velho se voltou e encarou-o sem acreditar.

- Você fala serio, amigo? O homem não acreditava em tamanha sorte, até
que estivesse sentado em uma mesa coberta, com uma toalha e com um
belo prato de comida quente na frente.

Durante a ceia, Victor notou que o homem envolvia um pedaço de pão em
sua sacola de papel.

- Está guardando um pouco para amanhã? Perguntou.

- Não, não. É que tem um menininho que conheço onde costumo freqüentar
que tem passado mal ultimamente e estava chorando quando o deixei.
Tinha muita fome. Vou levar-lhe este pão.

- O Pão de Cristo! Recordou novamente as palavras da mulher e teve a
estranha sensação de que havia um terceiro convidado sentado naquela
mesa. Ao longe os sinos da igreja pareciam entoar o velho hino que
havia soado antes em sua cabeça.

Os dois homens levaram o pão ao menino faminto que começou a engoli-lo
com alegria.

De repente, se deteve e chamou um cachorrinho. Um cachorrinho pequeno
e assustado.

- Tome cachorrinho. Te dou a metade - disse o menino. O Pão de Cristo
alcançará também você.

O pequeno tinha mudado de semblante. Pôs-se de pé e começou a vender o
jornal com alegria.

- Até logo! Disse Vítor ao velho. Em algum lugar haverá um emprego.
Não desespere!

- Sabe? - Sua voz se tornou em um sussurro - Isto que comemos é o Pão
de Cristo. Uma senhora me disse quando me deu aquelas moedas para
comprá-lo. O futuro nos presenteará com algo muito bom!

Ao se afastar, Vítor reparou o cachorrinho que lhe farejava a perna.
Se agachou para acariciá-lo e descobriu que tinha uma coleira onde
estava gravado o nome e endereço de seu dono.

Victor caminhou um bom pedaço até a casa do dono do cachorro e bateu na porta.

Ao sair e ver que havia sido encontrado seu cachorro, o homem ficou
contentíssimo, e logo sua expressão se tornou séria. Estava por
repreender Victor, que certamente lhe havia roubado o cachorro, mas não
o fez pois Victor mostrava no rosto um ar e dignidade que o deteve.

Disse então:

- No jornal de ontem, ofereci uma recompensa pelo resgate. Tome!

Victor olhou o dinheiro meio espantado e disse:

- Não posso aceitar. Somente queria fazer um bem ao cachorrinho.

- Pegue-o! Para mim, o que você fez vale muito mais que isto! Você
precisa de um emprego? Venha ao meu escritório amanhã. Faz-me
falta uma pessoa íntegra como você.

Ao voltar pela avenida aquele velho que recordava a sua infância,
voltou a soar em sua alma. Chamava-se: "PARTE O PÃO DA VIDA."

"NÃO O CANSEIS DE DAR, MAS NÃO DÊ AS SOBRAS,
DÊ COM O CORAÇÃO, MESMO QUE DOA."

QUE O SENHOR NOS CONCEDA A GRAÇA DE TOMAR NOSSA CRUZ E SEGUÍ-LO, MESMO QUE DOA!

Bem, agora se desejares, reparta com os amigos.

Ajuda-os a repartir e reflectir. Eu já o fiz.

ESPERO QUE SIRVA para sua VIDA.



publicado por saozinhasimoes às 16:18
link do post | comentar | favorito

Domingo, 5 de Fevereiro de 2012
SINAIS DE DEUS

 

Conta-se que um velho árabe analfabeto orava com tanto fervor e com tanto carinho, cada noite, que certa vez, o rico chefe de grande caravana chamou-o a sua presença e lhe perguntou:
- Por que oras com tanta fé?
Como sabes que Deus existe, quando nem ao menos sabes ler?

O fiel de Deus respondeu:

- Grande senhor, conheço a existência de Nosso Pai Celeste pelos sinais dele.

- Como assim? - Indagou o chefe, admirado.

O servo humilde explicou-se:

- Quando o senhor recebe uma carta de pessoa ausente, como reconhece quem A escreveu?

- Pela letra.

- Quando o senhor recebe uma jóia, como é que se informa quanto ao autor dela?

- Pela marca do ourives.

O empregado sorriu e acrescentou:

Quando ouve passos de animais, ao redor da tenda, como sabe, depois, se foi um carneiro, um cavalo um boi?

- Pelos rastros – respondeu o chefe, surpreendido.

Então, o velho crente convidou-o para fora da barraca e, mostrando-lhe o
céu, onde a Lua brilhava, cercada por multidões de estrelas, exclamou, respeitoso:

- Senhor, aqueles sinais, lá em cima, não podem ser dos homens!

Nesse momento, o orgulhoso carabineiro, de olhos lacrimosos, ajoelhou-se na areia e começou a orar também.

-Deus, mesmo sendo invisível aos nossos olhos; deixa-nos sinais em todos os lugares:
- na manhã que nasce calma, no dia que transcorre com o calor do sol ou com a chuva que molha a relva...
Ele deixa sinais quando alguém se lembra de você, quando alguém te considera importante...
Quando alguém merece teu carinho,
Quando alguém lembra de te enviar um e-mail, um texto e diz a você o que de melhor poderia dizer: DEUS TE ABENÇOE!



publicado por saozinhasimoes às 17:51
link do post | comentar | favorito

Domingo, 1 de Janeiro de 2012
SANTA MÃE DE DEUS, MARIA. (Solenidade)

Evangelho segundo S. Lucas 2,16-21.

Foram apressadamente e encontraram Maria, José e o menino deitado na manjedoura.
Depois de terem visto, começaram a divulgar o que lhes tinham dito a respeito daquele menino.
Todos os que ouviram se admiravam do que lhes diziam os pastores.
Quanto a Maria, conservava todas estas coisas, ponderando-as no seu coração.
E os pastores voltaram, glorificando e louvando a Deus por tudo o que tinham visto e ouvido, conforme lhes fora anunciado.
Quando se completaram os oito dias, para a circuncisão do menino, deram-lhe o nome de Jesus indicado pelo anjo antes de ter sido concebido no seio materno.

Comentário ao Evangelho
«Glorificando e louvando a Deus por tudo o que tinham visto e ouvido»

Vinde, sábios, admiremos a Virgem Mãe, a filha de David, esta flor de beleza que deu à luz a maravilha. Admiremos a fonte donde brota o princípio, a embarcação completamente carregada de alegrias que nos traz a mensagem vinda do Pai. No seu seio puríssimo, recebeu e trouxe este grande Deus que governa a criação, este Deus por Quem a paz reina na terra e nos céus. Vinde, admiremos a Virgem puríssima, maravilhosa em si mesma, a única criatura que deu à luz sem ter conhecido homem. A sua alma estava cheia de assombro, e todos os dias glorificava a Deus na alegria, por estes dons que parecia não poderem unir-se: a sua integridade virginal e o seu Filho bem-amado. Sim, abençoado seja Quem dela nasceu!
Ela tem-No dentro de si e canta os Seus louvores com suaves cânticos:«O Teu lugar, meu Filho, é acima de todas as coisas ; mas, porque assim o desejaste, vieste repousar em mim. Os céus são demasiado estreitos para a Tua majestade, e eu, que sou tão pequena, trago-Te dentro de mim! Que venha Ezequiel e Te veja no meu regaço; que ele se prostre e adore; que reconheça em Ti aquele que viu sentar-Se no carro dos querubins (Ez 1) e que me proclame bem-aventurada, graças a Quem trago dentro de mim! Isaías, que proclamaste: «Eis, a Virgem concebeu e deu à luz um filho» (7,14), vem, contempla, congratula-te comigo. Eis que dei à luz mantendo intacto o selo da minha virgindade. Contempla o Emanuel, que permaneceu escondido para ti.

«Vinde a mim, vós, os sábios, chantres do Espírito, profetas que nas vossas visões tivestes a revelação das realidades escondidas, agricultores que, após terdes semeado, adormecestes na esperança. Levantai-vos, saltai de alegria vendo a colheita dos frutos. Eis nos meus braços a espiga de vida que dá pão aos que têm fome, que satisfaz os miseráveis. Congratulai-vos comigo: recebi uma braçada de alegrias!»

 



publicado por saozinhasimoes às 22:51
link do post | comentar | favorito

Sábado, 31 de Dezembro de 2011
FELIZ ANO NOVO



publicado por saozinhasimoes às 13:57
link do post | comentar | favorito

Domingo, 25 de Dezembro de 2011
«Eu Hoje Te Gerei»

Evangelho segundo S. João 1,1-18.

ANO B

No princípio era o Verbo; o Verbo estava em Deus; e o Verbo era Deus.
No princípio Ele estava em Deus.
Por Ele é que tudo começou a existir; e sem Ele nada veio à existência.
Nele é que estava a Vida de tudo o que veio a existir. E a Vida era a Luz dos homens.
A Luz brilhou nas trevas, mas as trevas não a receberam.
Apareceu um homem, enviado por Deus, que se chamava João.
Este vinha como testemunha, para dar testemunho da Luz e todos crerem por meio dele.
Ele não era a Luz, mas vinha para dar testemunho da Luz.
O Verbo era a Luz verdadeira, que, ao vir ao mundo, a todo o homem ilumina.
Ele estava no mundo e por Ele o mundo veio à existência, mas o mundo não o reconheceu.
Veio para o que era seu, e os seus não o receberam.
Mas, a quantos o receberam, aos que nele crêem, deu-lhes o poder de se tornarem filhos de Deus.
Estes não nasceram de laços de sangue, nem de um impulso da carne, nem da vontade de um homem, mas sim de Deus.
E o Verbo fez-se homem e veio habitar connosco. E nós contemplámos a sua glória, a glória que possui como Filho Unigénito do Pai, cheio de graça e de verdade.
João deu testemunho dele ao clamar: «Este era aquele de quem eu disse: 'O que vem depois de mim passou-me à frente, porque existia antes de mim.'»
Sim, todos nós participamos da sua plenitude, recebendo graças sobre graças.
É que a Lei foi dada por Moisés, mas a graça e a verdade vieram-nos por Jesus Cristo.
A Deus jamais alguém o viu. O Filho Unigénito, que é Deus e está no seio do Pai, foi Ele quem o deu a conhecer.

 

Comentário ao Evangelho
«Eu hoje Te gerei»

 

Em Jesus Cristo, o Filho de Deus, o próprio Deus Se fez homem. É a Ele que o Pai diz: «Tu és Meu Filho». O hoje eterno de Deus desceu ao hoje efémero do mundo e arrasta o nosso hoje passageiro para o hoje eterno de Deus.

Deus é tão grande que Se pode fazer pequeno. Deus é tão poderoso que Se pode tornar fraco e vir ao nosso encontro como Menino indefeso, para que O possamos amar. Deus é bom ao ponto de renunciar ao Seu esplendor divino e descer ao estábulo para que O possamos encontrar e para que, assim, a Sua bondade chegue também a nós, se nos comunique e continue a agir por nosso intermédio.

O Natal é isto: «Tu és Meu Filho, Eu hoje Te gerei». Deus tornou-Se um de nós, para que nós pudéssemos estar com Ele, tornar-nos semelhantes a Ele. Como próprio sinal, escolheu o Menino no presépio: Deus é assim. Deste modo, aprendemos a conhecê-Lo. E em todo o menino brilha algo da luz daquele hoje, da proximidade de Deus que devemos amar e à qual nos devemos submeter – em todo o menino, mesmo naquele que ainda não nasceu.

 



publicado por saozinhasimoes às 14:30
link do post | comentar | favorito

Quinta-feira, 8 de Dezembro de 2011
IMACULADA CONCEIÇÃO DA VIRGEM SANTA MARIA

IMACULADA CONCEIÇÃO DA VIRGEM SANTA MARIA, Padroeira principal de Portugal – Solenidade

Evangelho segundo S. Lucas 1,26-38.

Ao sexto mês, o anjo Gabriel foi enviado por Deus a uma cidade da Galileia chamada Nazaré,
a uma virgem desposada com um homem chamado José, da casa de David; e o nome da virgem era Maria.
Ao entrar em casa dela, o anjo disse-lhe: «Salve, ó cheia de graça, o Senhor está contigo.»
Ao ouvir estas palavras, ela perturbou-se e inquiria de si própria o que significava tal saudação.
Disse-lhe o anjo: «Maria, não temas, pois achaste graça diante de Deus.
Hás-de conceber no teu seio e dar à luz um filho, ao qual porás o nome de Jesus.
Será grande e vai chamar-se Filho do Altíssimo. O Senhor Deus vai dar-lhe o trono de seu pai David,
reinará eternamente sobre a casa de Jacob e o seu reinado não terá fim.»
Maria disse ao anjo: «Como será isso, se eu não conheço homem?»
O anjo respondeu-lhe: «O Espírito Santo virá sobre ti e a força do Altíssimo estenderá sobre ti a sua sombra. Por isso, aquele que vai nascer é Santo e será chamado Filho de Deus.
Também a tua parente Isabel concebeu um filho na sua velhice e já está no sexto mês, ela, a quem chamavam estéril,
porque nada é impossível a Deus.»
Maria disse, então: «Eis a serva do Senhor, faça-se em mim segundo a tua palavra.» E o anjo retirou-se de junto dela.

 

 

 

Comentário ao Evangelho
«Cheia de graça»

 

Ó Maria, Senhora Nossa, o Senhor fez de ti Sua mãe singular, constituindo-te assim mestra e soberana do universo. Foi para isso que Ele te formou, pelo Seu Espírito operante, desde o primeiro instante da tua concepção no seio de tua mãe. Nossa Senhora, é essa a nossa alegria hoje. E perguntamos-te, mui doce Maria, rainha prudente e nobre: é possível colocar-te ao mesmo nível ou até a um nível inferior ao das outras criaturas?
O apóstolo da verdade pura afirma com certeza que todos os homens pecaram em Adão (Rm 5,12). Mas, tomando em consideração a qualidade eminente da graça divina em ti, observo que tens uma posição inestimável; à excepção de teu Filho, estás acima de tudo o que foi criado. E concluo que, na tua concepção, não podes ter ficado ligada à mesma lei da natureza a que estão ligados os outros seres humanos. Pela graça eminente que te foi concedida, tu ficaste completamente fora do alcance de todo o pecado. Graça singular e acção divina impenetrável à inteligência humana!
Só o pecado poderia afastar os homens da paz de Deus. Para eliminar esse pecado, para trazer o ser humano de novo à paz de Deus, o Filho de Deus quis fazer-Se homem, mas de um modo tal que nada n'Ele existisse nem participasse daquilo que separa o homem de Deus. Para tal, convinha que Sua mãe fosse pura de todo o pecado. Se não, como poderia a nossa carne unir-se tão intimamente à pureza suprema e como poderia o homem assumir uma tão grande união com Deus, que tudo o que é de Deus pertencesse ao homem e tudo o que é do homem pertencesse a Deus?

 



publicado por saozinhasimoes às 13:38
link do post | comentar | favorito

Domingo, 4 de Dezembro de 2011
«Não sou digno de me inclinar para Lhe desatar as correias das sandálias»

 

2º Domingo do Advento – Ano B

Evangelho segundo S. Marcos 1,1-8.

Princípio do Evangelho de Jesus Cristo, Filho de Deus.
Conforme está escrito no profeta Isaías: Eis que envio à tua frente o meu mensageiro, a fim de preparar o teu caminho.
Uma voz clama no deserto: 'Preparai o caminho do Senhor, endireitai as suas veredas.’
João Baptista apareceu no deserto, a pregar um baptismo de arrependimento para a remissão dos pecados.
Saíam ao seu encontro todos os da província da Judeia e todos os habitantes de Jerusalém e eram baptizados por ele no rio Jordão, confessando os seus pecados.
João vestia-se de pêlos de camelo e trazia uma correia de couro à cintura; alimentava-se de gafanhotos e mel silvestre.
E pregava assim: «Depois de mim vai chegar outro que é mais forte do que eu, diante do qual não sou digno de me inclinar para lhe desatar as correias das sandálias.
Eu baptizei-vos em água, mas Ele há-de baptizar-vos no Espírito Santo.»


Comentário ao Evangelho

«Não sou digno de me inclinar para Lhe desatar as correias das sandálias»

[ «Então veio Jesus da Galileia ter com João ao Jordão para ser baptizado por ele. João opunha-se, dizendo: 'Eu é que tenho necessidade de ser baptizado por Ti'» (Mt 3,13-14)]. Na Tua presença, Senhor Jesus, não posso calar-me, porque sou a voz, a voz que clama no deserto: Preparai o caminho do Senhor. Sou eu que tenho necessidade de ser baptizado por Ti e Tu vens a mim? [...] Tu que eras no princípio, Tu que estavas em Deus e eras Deus (Jo 1,1); Tu que és o resplendor da glória do Pai e a imagem da Sua substância (Heb 1,); Tu que, quando estavas no mundo, vieste aonde já estavas; Tu que Te fizeste carne a habitaste entre nós (Jo 1,14; 14,23), e que tomaste a condição de servo (Fil 2,7); Tu que uniste a terra e o céu pelo Teu santo nome – és Tu que vens a mim? Tu que és grande, ao pobre que eu sou? O Rei ao precursor, o Senhor ao servo?

Conheço o abismo que separa a terra do Criador. Sei que diferença há entre o pó da terra e Aquele que o modelou (Gn 2,7). Sei quão longe está de mim o Teu sol de justiça, de mim que sou apenas a lâmpada da Tua graça (Mal 3,20; Jo 5,35). E, embora Te encontres revestido pela nuvem puríssima do Teu corpo, reconheço a minha condição de servo e proclamo a Tua magnificência. «Não sou digno de me inclinar para Lhe desatar as correias das sandálias.» Como ousaria então tocar o alto imaculado da Tua cabeça? Como ousaria estender a mão para Ti, que «estendeste os céus como um pavilhão» e que «estendeste a terra sobre as águas» (Sl 103,2; 135,6)? Que oração farei sobre Ti, que até as preces daqueles que Te ignoram acolhes?

 



publicado por saozinhasimoes às 16:04
link do post | comentar | favorito

MUSICA RELAXANTE
TRADUÇÃO
posts recentes

OS MESTRES DO MESTRE

O QUE DEVO FAZER PARA ALC...

O MAIOR HOMEM DA HISTÓRIA

O PÃO DE CRISTO

SINAIS DE DEUS

SANTA MÃE DE DEUS, MARIA....

FELIZ ANO NOVO

«Eu Hoje Te Gerei»

IMACULADA CONCEIÇÃO DA VI...

«Não sou digno de me incl...

arquivos

Outubro 2012

Julho 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

GEOCLOCK

contador gratis
Outubro 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30
31


links
VIDEO-FAZ-TE AO LARGO
contador

Contador Grátis